Plano de classificação

Tipo de Entidade:Pessoa ColectivaForma Autorizada do Nome:Club Naval de Lisboa Outras Formas do Nome:Real Club Naval de LisboaClube Naval de LisboaHistória:A primeira reunião oficial do Conselho Diretor do Club Naval de Lisboa decorreu em 1891, ainda sob a designação de Comissão Instaladora, cujos estatutos foram aprovados em 1892-01-27. Em 1893, o Príncipe D. Luís Filipe já era Comodoro honorário desta «associação humanitária e de instrução náutica». No ano seguinte, também D. Maria Pia e o Infante D. Afonso aceitaram os títulos de protetores da agremiação, aos quais se seguiram, em 1895, a Rainha D. Amélia e D. Carlos, que em 1896 lhe concedeu o título de Real e, no ano seguinte, passou a desempenhar funções de Comodoro. Destinado a «animar a construção de iates, ou barcos de recreio, desenvolver o ensino da arte de navegar à vela e a remos, desenvolver o gosto pelas diversões marítimas, promover e efetivar regatas nos rios e baías próprias para esse efeito, e finalmente, logo que as circunstâncias lho permitam, organizar um posto de socorros a náufragos e uma escola de natação», o Real Club Naval de Lisboa tendeu a assumir-se desde a sua formação enquanto uma das mais ativas agremiações ao nível da divulgação do remo e da vela. Em 1900 possuía 179 associados, inaugurando, em 1901, uma Secção em Cascais, que cedo registou inscrições de vulto e se destacou por ocasião da organização de algumas das mais célebres regatas promovidas na Baía, que se impusera enquanto local privilegiado para a prática da vela em Portugal. Nesse ano fundaria, ainda, as secções da Azambuja, da Trafaria e de Portimão, a que seguiriam as de Luanda e do Funchal, nos anos de 1902 e 1904, respetivamente, bem como o Posto Náutico de Pedrouços, em 1903. Para além de importantes regatas de vela e de remo, organizou, também, em 1906, a primeira regata de motonáutica em Portugal, apostando, ainda, na natação, como o denota o facto de, em 1907, João Barata, nadador do Clube, ter vencido a primeira travessia do Tejo a nado. Em 1928, Frederico Burnay, Carlos Bleck, António Herédia, Ernesto Mendonça e João Penha Lopes, sócios do Clube, representaram Portugal nos Jogos Olímpicos, na modalidade de vela. Em 1931, no mesmo ano em que se mandou construir a primeira piscina do Clube, o Presidente da República conceder-lhe-ia a Comenda da Ordem Militar de Cristo, classificando-o, no ano seguinte, como «instituição de utilidade pública». Em 1932, inaugurou-se, ainda, a Delegação de Portimão, a que se sucedeu, em 1940, a abertura da Secção de Lagos e, em 1943, da primeira Escola de Treinadores de Remo portuguesa. Em virtude das obras de construção da Estrada Marginal, o Clube seria forçado a abandonar o posto náutico que estabelecera em Cascais, em 1944, ano que parece encetar um período de crise, que se manteria, pelo menos, até 1965, data em que na sede do Clube se construiu um tanque de remo para oito desportistas. Já em 1980 se fundou a Secção de Levantamento de Pesos, dotada de ginásio apetrechado para o efeito. Em 1991 a Câmara Municipal de Lisboa cederia ao Clube um novo edifício para a armazenagem de embarcaçõesRegras e/ou Convenções:ODARPCData de Criação:2008-04-09Notas de Manutenção:TFM